Registro de direitos autorais: dois vídeos fresquinhos!

Essa é para quem já escreveu um livro (ou está escrevendo) e pretende registrá-lo na Fundação Biblioteca Nacional!

Já faz um tempãoooo que eu publiquei um post sobre esse assunto (Leia aqui), e me surpreendi com a avalanche de perguntas! Então, para facilitar a vida de vocês (e a minha também!), resolvi fazer esses dois vídeos. Espero que eles possam ajudar vocês!

 

Vídeo 1 – Dúvidas sobre registro no EDA

Neste eu respondo algumas das dúvidas mais frequentes sobre o registro de obra autoral na Fundação Biblioteca Nacional. Feito com base nas perguntas que recebi por e-mail e comentários.

 

Vídeo 2 – Diferença entre o registro no EDA e o ISBN

Muitas pessoas confundem o registro no Escritório de Direitos Autorais e o registro de ISBN. Este vídeo serve para explicar o que é cada um deles e para que servem.

Se você é iniciante e ainda quer ler mais sobre o tema, veja os outros posts da categoria Dicas para Escritores.

Beijos e até a próxima!

Como registrar seu livro na Fundação Biblioteca Nacional (guia passo-a-passo)

Atualizado em 15 de abril de 2017
Para saber mais sobre o mercado literário, conheça o podcast Papo de Autor. Nele, escritores publicados compartilham experiências e dão dicas para quem está começando. Você também pode entrar no nosso grupo do Facebook.

 


1. Por que registrar?

Você levou meses criando, escrevendo, revisando, fazendo e refazendo seu livro, e ele finalmente está pronto! Sem dúvidas, você está morrendo de vontade de mostrar para todo mundo. Gritar por aí: “Terminei!!”, mandar para os amigos por e-mail, mandar para as editoras.
Mas espere! Não se esqueça de que existe muita gente mal intencionada por aí! Eu, que sou ilustradora, sei bem o que digo: muita gente pensa que desenho encontrado no Google não tem dono, e que podem copiar à vontade. Infelizmente, é mais difícil identificar e lutar pelos direitos autorais de um desenho que foi roubado, mas não vou entrar no mérito da questão. Texto, assim como desenho, também sofre com o uso indevido. E por mais que você envie seu livro só para pessoas em quem confia, pense bem: se elas gostarem, talvez mostrem para alguém. E, a essa altura, você já perdeu o controle de quem leu e quem não leu. Por via das dúvidas, o melhor a fazer é registrar a obra.
O registro não é caro, e a maior vantagem que ele oferece é a segurança. Caso aconteça um plágio, fica mais fácil de provar sua autoria e garantir seus direitos. Uma das coisas mais importantes será a data em que a obra foi registrada: teoricamente, o verdadeiro autor possui o registro mais antigo. Existem várias formas de realizar o registro, e o que eu vou explicar é como prefiro fazer com os meus. Este guia não serve para registro de músicas, pois este possui algumas exigências diferentes.

Continue Reading…